SEGUIDORES

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

APRENDA A BRIGAR, VAIS PRECISAR. ( PR ISMAEL, CASADOS EM CRISTO)


Mais importante que não haver conflitos é saber administrá-los bem, pois conflitos sempre existirão e pensar o contrário seria uma utopia. Onde estiverem dois, ali estará estabelecido  o conflito.

** Começo, meio e fim.**

Tudo que o casal tratar, tem que ter começo, meio e fim.
Vão discutir uma dificuldade, ótimo, isso é bom. Mas tenha como regra de conduta, tratar de modo específico, não abrindo demais o leque de reclamações e assim perder o controle.  Comece colocando condições para o diálogo, algo assim: “ Vamos conversar, porém, não quero briga, quero resolver as questões pendentes, por isso, vou manter a serenidade e proponho que faça o mesmo.” Se começar bem, é provável que termine bem.
Durante o discutir do casamento, não vale insinuações, começar falar e não terminar, acusações levianas. O foco não deve ser o erro em si, mas, mas sim, como fazer para resolver, a solução dele. Exemplo: “Meu bem, você, por vezes, se atrasa e eu me sinto envergonhada com isso.” Gostaria que você pensasse nisso e me ajudasse porque me sinto muito mal diante dos amigos quando estou atrasada para os compromissos. Veja, ela disse um fato e o como se sente em relação a esse mesmo fato. Não alongou com outros acusações, não fez juízo do porquê ele se atrasa, mas sim, focou no seu sentimento de vergonha, e ao final, pede que pense numa mudança possível para que não aconteça mais. Imagina se ela começa agressivamente dizendo que ele é um “atrasildo”, que está “sempre” está atrasado, que já não aquenta mais viver com ele, enfim, exagerando nas verdades, saindo da moderação e do equilíbrio. A confusão estaria armada.
E ao final deve vir a pergunta, “está resolvida essa questão? Havendo acordo, não se fala mais nisso, e caso, o fato surja novamente, sem fato novo dentro do fato, de pronto, alguém já lembra: “Opa, já resolvemos isso.”

**Focar as virtudes e não defeitos**

Alguém que entra numa relação e põe-se a procurar defeitos e imperfeições, rapidamente se fartará deles, ´pois o que valorizamos aumenta. 
O melhor de nós continua a ser imperfeito, então não é justo buscar perfeição entre os imperfeitos.
Jesus tinha uma formula para esses momentos, falava de autoexame, perdão, de oração e propunha andar mais uma milha com aquele que o oprime.
O perdão existe como um remédio para situações difíceis, daí ser tão difícil de ser praticado, mas é necessário.

**Lance fora as pedras que traz nas mãos.**

Soltar as pedras que trazemos nas mãos também é um dos segredos para a resolução de conflitos, pois quando estamos armados contra o outro, nossa mente fica predisposta ao conflito e não a sua resolução. É muito comum, quando temos pedras na mão, reagirmos de maneira desproporcional, com uma agressividade maior. Também é observado que quando se tem pedras na mão, a comunicação fica cheia de ruídos, e por vezes as palavras são distorcidas e mal entendidas.

**Imponha limites**

Aprenda estabelecer limites para si mesmo, e nunca para o outro, pois se fixar limites para o outro, ele não cumprirá. Diga ao faltoso, que dará um prazo para que deixe de cometer tal ofensa, e caso continue aquele comportamento que lhe é agressivo, você irá tomar uma atitude e diga qual a atitude a ser tomada. Uma vez, avisado, conversado, e estabelecido o que irá fazer caso continue a agressão ou ofensa, então, tem que ficar firme, e se acontecer a falta, cumpra com o que disse. Aplique o limite. Vou dar exemplo: Marido adorava esculachar com a esposa na presença dos amigos, a fazia passar por ridículos e assim todos riam muito. Um dia ela decidiu que aquilo não mais seria aceito. Em casa, avisou-o, e que da próxima vez que acontecesse, o deixaria falando sozinho, abandonando o ambiente, fosse onde fosse, na presença de quem fosse, e quando aconteceu, e de fato aconteceu, pois ele e não acreditou, então ela, saiu do ambiente e ele ficou sozinho com cara de tacho na roda de amigos. Isso é colocar limites, é dizer “chega!”
Note bem os detalhes, é preciso avisar antes, dar o prazo, estipular a providência que irá tomar, e se acontecer, fazer o que disse que faria.
Claro que há situações mais graves, e pessoas mais difíceis, mas em geral , a imposição de limites funciona bem.

**Melhore a auto estima.**

Alguns sentimentos nocivos são observados na vida de quem vive o conflito, e devem ser tratados à medida que se tenta solucionar a questão. E entre eles está a baixa autoestima, a mania de vitimização, a auto piedade, autosabotagem, pois estando presentes pensamentos doentios o relacionamento se torna ainda mais  conflituoso. 
A baixa autoestima é um sentimento de menos valia e que vem atrelada ao sentimento de insegurança. Quem sofre de baixa autoestima tem dificuldade de compreender fatos e situações, com uma imagem negativa de si mesmo, acaba interpretando mal. Melhore a autoestima, tenha noção de valor próprio, ame-se até o limite desse amor estar nivelado ao amor que libera para o outro.
Sentimentos de auto piedade, que é um pensamento, sentimento ou comportamento de quem exagera piedade de si mesmo em situações difíceis da vida. É muito nocivo para a relação, a pessoa se fere com muita facilidade e acredita que merece a piedade de todos. Aqueles que “gostam” de se fazer de vitimas, e usam como estratégia para receber a piedade que tanto precisa das pessoas, tornam ainda mais difícil a resolução de seus conflitos, choramingam, falam que merecem passar por aquilo, enfim, fazem coisas em busca de piedade. Mas o conflito, permanece onde sempre esteve, no mesmo lugar.

**Auto responsabilidade**.

Assuma a responsabilidade pela sua parte de culpa nos  eventos, não ache que o outro é sempre o culpado de tudo  e você a vitima. Geralmente, os dois têm suas respectivas parcelas de culpa, por ação ou omissão. E por fim, vale destacar que, quanto maior e melhor for nosso relacionamento com Deus e sua Palavra, menor serão nossos problemas, e melhor será nosso relacionamento pessoal. As vezes penso que casais , por vezes, espiritualizam demais suas relações, transferem para Deus a solução de suas crises relacionais. Eles não sabem o que fazer, então, terceirizam o problema para Deus. Sim, não é errado, posto que Deus é Pai e como Pai é generoso e sempre ajuda seus filhos, porém, o caminho da alegria conjugal está na sua Palavra, já está escrito o que se deve fazer, seja preventivamente vivendo bem, ou processos de cura para quando o mal já estiver instalado, o remédio está ali, na sua Palavra.  Ser cristão é estar decido a viver biblicamente correto e não politicamente correto. É conduzir a vida de modo que aqueles que o acusam, passem por mentirosos.

**Auto exame**
Quanto ao autoexame, entendo que ele Ele dizia algo assim: “ Você que aponta o cisco no olho de teu irmão, vá primeiro tirar o graveto do seu próprio olho e depois enxergando melhor, volte a tratar do cisco no olho do irmão.” Está falando de um auto examinar, para que, quando nos examinarmos, nos daremos conta de nossas muitas faltas e assim, teremos misericórdia e compaixão mesclados a nossa justiça.

***Ore pelo “inimigo”***

Também ensinou o poder da oração pelo inimigo, e isso é algo poderoso, pois quando oro pelo meu inimigo, inicialmente não o faço de bom grado, mas depois vou me acostumando com a ideia e ao fim, já consigo realmente desejar o melhor para ele. Quando você encontra um inimigo pelo qual está orando, fica muito estranho ter sentimentos ruins a respeito dele, nosso espírito testifica que não é correto isso, orar e sentir raiva ao mesmo tempo. E com a ação do Espirito de Deus, que se abranda sentimentos, cura corações, e promove encontros de paz. Se o teu par, hoje, está sendo o teu inimigo, então ore por ele nessa condição.

**Lide bem com pessoas difíceis.**

Nos relacionamentos encontramos pessoas fáceis de lidar e pessoas de difícil trato, gente dura na queda. A problemática está exatamente no fato que temos a propensão em nos aproximarmos mais das pessoas fáceis, As pessoas difíceis deixamos na prateleira. Mas, e quando essa pessoa difícil é o seu par? Aí a coisa complica um pouco, não é?
As pessoas difíceis precisam saber que são difíceis e que não devem valorizar em si mesmas aquilo que não é virtude.. Há pessoas que tem orgulho de serem duronas, outras de ser sangue quente, teimosas, irresponsáveis, etc. Elas precisam que alguém lhes aponte essa falha de caráter. Agora, isso não se faz no momento da discussão, se faz num mais oportuno. E sempre que for necessário tecer uma crítica, que venha antes um elogio, uma promessa, um encorajamento, e aí, sim, fale do defeito do outro. As pessoas difíceis tem seus valores fortes também, posições morais bem definidas, geralmente é assim, então, aprender lidar com eles é de grande sabedoria. Procurar agrada-los, obviamente, dentro daquilo que não está sendo prejudicial a suas emoções e nem tampouco tendo que abrir mão de valores que lhe são caros, esse é um bom caminho. Exercer um pouco mais de paciência, afinal, é para esses casos que Deus criou essa virtude, Evite desgastes desnecessários, se a pessoa não gosta de ser confrontado, não confronte, contorne. Gosto da estratégia utilizada pelos rios que descem montes e avançam pelo vale até chegar ao mar. Ele não entra em choque com as montanhas, mas as contorna, e assim vai se conduzindo e cumprindo sua missão.

**Comunique amor**

Importante também é Vou dar exemplo, houve uma discussão, estão de cara feia um com outro, mesmo assim, prepare algo bom para o outro, um bom  jantar, um favor especial, algo que fale por você e comunique amor e não rancor. Bom é falar menos quando o outro está irado, na verdade são palavras brandas e silencio que desviam o furor.

**Ande mais uma milha**

Aprendemos com Cristo que se alguém te forçar a andar com ele uma milha, ande duas, pois na segunda milha, andando de boa vontade, os papeis se inverterão, aquele que era o maior se tornará o menor, e o menor se tornará maior. Durante a segunda milha é que é dada ao seu opositor a oportunidade de se arrepender.

**Apague o fogo**

Bombeiros usam de pelo menos 04 técnicas para apagar um incêndio: Fogo contrário, abafamento, resfriamento, retirada do material combustível.
Fogo que se apaga com fogo contrário, é técnica para apagar fogo em coisas, mas não em coração de pessoas, essa técnica não funciona nos relacionamentos incendiários. Abafamento e retirada do material combustível é não por mais lenha na fogueira, é não dar motivos para a briga. O resfriamento é quando uma das partes não leva adiante a questão, ignora, e resolve com calma a contenda. Resfriamento é quando se propõe a paz, sem vencido e vencedor. A retirada do material é a mudança de comportamento, é não dar mais causa para a contenda.

**Use o silencio**

Saber silenciar em alguns momentos traz bons resultados. Não é o silencio carregado de rancor , mas sim um silencio brando e sereno. Um silencio que libera paz. Especialmente o homem quando algo o aborrece, pra não falar o que não deve, não ser agressivo, ele opta por ficar quieto no seu canto emocional. A esposa ansiosa insiste que ele fale, ela se comporta como quem quer arrancar dele um sentimento, e isso acaba piorando a situação. A sabedoria ensina que silenciar até que ele resolva ressurgir na vida dela é uma melhor opção. Eles sempre voltam.

SEXO, ANTES, DURANTE, E DEPOIS. ( PR ISMAEL, CASADOS EM CRISTO)

SEXO, ANTES, DURANTE E DEPOIS

É triste imaginar que a sexualidade  poderia ser fator de coesão do casamento acabe sendo motivo e razão de separações.
Estudos mostram que homens e mulheres são muito diferentes sexualmente falando. Os homens focam a relação como se fosse um encontro pênis-vagina, ao passo que as mulheres colocam romantismo nesse encontro. E é exatamente esse descompasso, um dos fatores que pode estar influenciando negativamente a relação, a ponto de as estatísticas sinalizarem para o fato de que apenas 30% das mulheres se satisfazem sexualmente com seus parceiros.
Os homens são iniciados sexualmente, quase que na sua totalidade, pela pornográfia, fonte massificada e quase que única onde eles matam suas curiosidades. Basta perguntar a um homem onde procurou conhecimento sobre o ato sexual e ele dirá que foi através de filmes pornôs, revistas e outros materiais com tais conteúdos.
A pornografia apresenta o sexo desprovido de sensações e sentimentos de amor. Tem como foco a genitália, como se o sexo se resumisse no encontro desses órgãos e não o encontro entre dois seres com alma, desejos e necessidades. Assim, sexo para os homens pode significar a satisfação de uma necessidade fisiológica, e uma necessidade psíquica de dominação, nada muito além disso, trazendo sérias consequências para o relacionamento.Há todo um trabalho da poderosa indústria pornográfica para apresentá-la como atividade normal da vida humana, e do lado de cá, temos os resultados que ela traz pra sociedade, exploração, abuso, estupro, violência, pedofilia e outros tantos vícios. Mas em analise pessoal, percebo que o grande prejuízo trazido é que ela se tornou a escola sexual de nossos jovens, que se transformam em padrão de comportamento, onde a mulher nem sempre é levada em consideração, se vai ser prazeroso pra ela ou não, isso não importa. A relação torna-se egoísta e mecânica, e ambos saem, quando muito, atendidos fisiologicamente. Isso ainda como o melhor resultado, pois nem sempre, no caso da mulher, a satisfação é uma realidade.
Penso que o ato sexual é algo tão importante e tão cheio de benesses quando bem feito que deveria ser ensinado com responsabilidade pela família, escola e mesmo pela igreja.
O melhor que poderíamos fazer seria ensinarmos os jovens que o sexo tem muito mais a oferecer que alguns minutos de prazer, e a satisfação de uma necessidade puramente natural e fisiológica.
Um bom sexo, dentro de uma relação compromissada como é o casamento, consolida e fortalece a aliança existente entre eles, eleva o nível de amor , e um desejo constante pela presença do outro se faz perceber. O sexo faz bem para a saúde como um todo, e para as emoções é santo remédio. Cientistas descobriram que uma noite de sexo, com orgasmo, reverbera na vida do casal por muitos dias, alongando no tempo uma sensação de bem estar e de prazer.
O Antes – Para um bom sexo, a mulher deve estar vivendo um momento bom com seu homem, sem mágoas ou ressentimentos. Até por conta disso a Bíblia ensina que o homem não deve tratar a esposa com grosserias, pois elas guardam esses sentimentos por muitos dias.
Iniciado as primeiras carícias, o homem demora coisa de dois minutos para estar pronto para o ato em si. A mulher vai precisar de um tempo maior , em torno de 12 minutos de preparação. Essa informação é importante, pois uma das grandes queixas delas é que seus maridos são apressados demais, e muitas vezes a penetração acontece sem que estejam prontas, perdendo-se parte do prazer.
O depois – Após o ápice sexual, o homem imediatamente entra num estado de resolução, um relaxamento total que o faz sonolento, colocando o para dormir. Seria como se o organismo pedisse para entrar no modo econômico de suas baterias que precisam ser recarregadas. Então, eles viram do lado e dormem. As mulheres, por sua vez, continuam um pouco mais de tempo com a sensação de prazer perpassando por todo o seu corpo. Ele dorme, ela continua acordada e muito acordada.
Quando o homem é conhecedor da importância desses detalhes para o prazer sexual dela, então, habitua-se a não se entregar aos braços do Morfeu assim que tem o orgasmo, mas abraça junto dela espera até que a sensação de prazer no corpo de sua parceira complete o seu ciclo.



terça-feira, 10 de outubro de 2017

SERIA DEUS ROMÂNTICO ? PR ISMAEL ROSELEI DE CARVALHO

DEUS ROMANTICO?

Geralmente, temos que os homens não são lá muito românticos, ainda que isso tenha mudado pra melhor nos últimos anos. Entretanto, ainda é motivo de alguma tristeza para as mulheres. Homens são práticos, racionais, e elas emotivas, por isso, essa atração pelo romantismo. Ser romântico é ser fantasioso, poético, é dizer coisas boas de ouvir, é fazer coisas que tocam o coração, e assim, os homens acabam não indo muito bem nesse quesito.
Perguntaram-me: “Deus é romântico”? Sem muito pensar acabei dizendo que acreditava que não, muito embora, não visse Deus como um ser sisudo, porém, não chegava a ser romântico. Os dias se passaram e sempre aquilo me incomodando, afinal, Deus é romântico ou não?
Hoje, defendo a ideia de que sim, Deus é muito romântico. Ele trata de mostrar seu romantismo ao longo de sua Palavra, e de maneira toda especial, no livro de Cantares, escrito por Salomão, inspirado por Deus.
As marcas do romantismo de Deus são conhecidas por alguns textos que tratam de relacionamentos conjugais, onde a forma de expressar de personagens  deixa patente seu romantismo. Vejo a história de Jacó que quando viu sua futura esposa pela primeira vez, desabou em lágrimas e chorou copiosamente a ponto de merecer menção na história bíblica. Pergunto a você mulher, o que aconteceria com seu coração se esse choro tivesse acontecido quando do primeiro encontro com seu futuro marido? Imagina você poder contar aos seus filhos que o pai deles, quando viu a mamãe, chorou de emoção? Não mexe o coração da gente só de pensar nisso?
Ainda falando de Jacó e Raquel, conta o relato bíblico que ele trabalhou graciosamente para o sogro por sete anos, para só depois tê-la como esposa, e que isso lhe pareciam como poucos dias pelo muito que a amava. Olha só isso, que loucura! Um fato registrado com romantismo e poesia. Temos também Isaque e Rebeca que foram vistos em lugar público brincando, se acarinhando, se tocando como amantes, expressando ternura um para com o outro a ponto de ser percebido por observadores que era uma relação de amor. Cantares de Salomão é romantismo do começo ao fim, mas destaco um momento em que ela, a sulamita, fala de seu amante dizendo que o falar dele é muitíssimo suave e agradável, sim, ele é totalmente desejável. E que por ser assim, havia vida na cama deles, e um casamento fortalecido com valores que davam sustentação e durabilidade a relação. E pra fechar, leio Deus falando ao profeta Ezequiel que, por alguma razão que só Ele sabe, sua esposa morreria, mas ainda assim, refere-se a ela como a “delícia dos olhos” do profeta. Fico impressionado e imaginando Deus falando isso, como que a nos ensinar que qualquer mulher gostaria de ser chamada de “delicia dos meus olhos” pelo seu marido. Ora, se Deus chama uma de suas filhas assim, então, vejo como uma quebra de paradigmas, um modificar de pensamentos retrógados, onde nós homens cristãos ficamos intimidados de falar de amor de um modo mais  sensual, como se isso fosse uma indignidade ou ofensa. Quem tem facilidade para falar, fale. Quem não tem facilidade, faça algo, mas faça mesmo. Uma flor num dia qualquer, um bilhete num papel improvisado, a declaração carinhosa com batom no espelho, não sei, mas seja criativo. Ouvi alguém contando que sua esposa resolveu, na hora do jantar, estando apenas os dois em casa, ela acende uma vela, deixando uma penumbra no ambiente. E que isso modificou a relação dos dois, trouxe uma intimidade maior, e olha, disse o marido que até o tom de voz, naqueles momentos, é mudado. Falam baixinho, trocam confidências, as mãos se acariciam, e assim o amor se faz.
Romantismo é coisa de Deus. Encorajo vocês a tentarem algo. O romantismo é criação Dele para a alegria e crescimento do amor conjugal. Decididamente, Deus é um ser romântico.


CASAMENTO: BONITOS E FELIZES. PR ISMAEL - CASADOS EM CRISTO

 BONITOS E FELIZES.

Às vezes, achamos que nossa família tem muita coisa pra ser ajustada, e generosamente atentamos para outras famílias com olhar de admiração e um espirito de comparação, e aí um sentimento de desvalio se assenhora.
Bom, isso é comum acontecer, mas não se pode desistir dela, ela tem jeito, pois seu sucesso é um plano traçado no céu.
Todas as famílias estão lutando suas próprias lutas, com suas frustrações e fracassos, é uma ilusão acharmos que na família do outro tudo funciona bem e que a nossa é um horror. De perto é que as imaturidades se revelam. Tenho um amigo que diz que “De perto somos mais feio”, e esse é o risco que a família corre, olharmos sempre e unicamente sob a perspectiva das imperfeições. Lembro que tudo aquilo que focamos, aumenta.
Coloque lentes  coloridas no seu modo de olhar, valorize sua família, ame cada um com suas deficiências, importe-se com o crescimento individual, faça coisas que promovam a unidade, que ninguém fique para trás, cresçam e amadureçam juntos.
Cada família tem sua própria beleza, e pode ficar ainda mais bela a partir de um senso de pertencimento e não de afastamento, melhorando os relacionamentos, perdoando as falhas que ocorram, e acima de tudo encorajando as transformações.
Não desista de sua família, ela é sua. A comunhão pode não acontecer espontaneamente, então provoque, porque na comunhão há entendimento e afeição.
Há em nós um chamado “discurso da falta” ou “discurso da escassez” onde nos sentimos sempre devedores de algo, como se fossemos incompetentes ou incapazes de construir algo bonito, ou ainda, que precisamos disso ou daquilo para ser felizes.  Ela acha que o que oferece a ele não é suficiente, e se sente devedora. O mesmo pode ocorrer com ele, que entende que está em divida com ela, e quando esses sentimentos são passageiros, sem problemas, mas se persiste, então, é mudar o pensamento depressivo, melhorando sua autoestima e a alegria da casa. Ele diz, quando eu comprar um carro novo, aí vamos fazer isso ou aquilo. Ela diz, “Depois que as crianças crescerem vamos sair mais juntos.”, é o discurso da escassez, estão sempre esperando algo, e se justificando, e por consequência, deixando de viver o melhor , dentro daquilo que é possível no momento.Com a cabeça ocupado com o futuro, deixam escapar o presente.
Diminua a pressão do viver, traga leveza para a relação e para o ambiente como todo. Somente quando o ambiente é propício há crescimento. Críticas e indiferença não promovem crescimento, apenas distanciam e separam pessoa.
Conhece a experiência realizada com o filhote de tubarão? Pois então, os biólogos apanharam um filhote de tubarão e o colocaram num criatório, uma caixa pequena. E passaram-se dias, meses e anos, e o tubarão cresceu pouco, permanecendo ainda muito pequeno para sua espécie. Então, o colocaram em um criatório bem maior, o suficiente para nadar e se alegrar ali. O tubarão cresceu e chegou ao tamanho normal da sua espécie.
Felicidade é um estado de contentamento, renovado por picos de prazer e sensação de bem estar. Ser feliz está mais relacionado a valores internos do que posses materiais, que podem sim contribuir, porém, não são, absolutamente, determinantes. Felicidade é um sentimento adquirido e não implica ausência de dor, mas presença de forca que supera gratidão que reconhece e alegria que contagia.
Portanto, ser feliz é possível, comece sendo grato e sorrindo, ela virá. A família precisa de espaço para crescer, de alegria e de leveza, assim a felicidade chegará.

POEMA CONSELHO DE AMIGO - PR ISMAEL CASADOS EM CRISTO

CONSELHO DE AMIGO.
Um dia, mesmo com medo, ela se foi.
O desamor foi demais
E você descobriu, então,
Que ela era única
Mas ela, depois de vencido o medo
Se dá conta que você
Era só mais um
Assim te aconselho amigo
Ame  com amor
Pois se o amor partir,
Ela pode descobrir
Que não vale a pena ficar.
Ame com amor
AMOR OU POESIA?
"Um grande amor é aquele que sai dos livros, e do campo filosófico com todo o seus valores, e se transforma em relacionamento, fora disso, é só poesia".

sábado, 7 de outubro de 2017

TEU HOMEM, TEU LIBERTADOR - PASTOR ISMAEL R CARVALHO

( Texto extraido do livro "E eis que era muito bom" do Pastor Ismael R Carvalho.)

Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela, para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela pa-lavra, para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irre-preensível.” Efésios 5:25-27

O relacionamento conjugal é comparado a relação entre Jesus e sua noiva, a igreja. Isso nos leva imaginar que a figura do marido como um tipo de Cristo. Obviamente, não é um salvador eterno, mas, um salvador temporal. Alguém com quem ela possa contar na hora da dor e quando ela se vê em apuros, alguém que olha pra ela e por ela de maneira prioritária. O marido é o ajudador quando ela se vê em dificuldades. Ele sabe ler seu coração, é um libertador, não seu opressor, ele a faz sorrir e não chorar, liberta e não amarra, acrescenta e não diminui. Algumas vezes, ele é aquele que vai por ela, em outras, vai com ela. Ele é quem traz um bom conselho quando a dúvida paira, oferece segu-rança dizendo: “Estou com você.” O marido que se entrega é o mesmo  que se “pré” ocupa com o momento dela e lhe antecipa as necessidades. Sabe o que mais, é alguém que deve estar pronto pra morrer por ela, se for o caso. Marido deve ser o herói que ela precisa. E se isso lhe parece pouco, ele valoriza o que ela valoriza, respeita os seus gostos e preferências, e lhe dá liberdade porque ela merece sua confiança, ele não a sufoca ou aprisiona. Quer mais? Então leia isso: “para a apresentar a si mesmo, sem mácula, nem ruga”, sabe o que Ele está falando? Está falando que cuida para que ela esteja bonita para Ele mesmo, sem manchas e sem rugas. Olha que tremendo isso. Será que isso serve como uma indireta para os maridos que não investem na esposa, que não libera a carteira nem para os cremes anti rugas? Acho que sim! Homem gosta de mulher bonita e bem arrumada, então, que arrume a sua, não precisa olhar a do outro. Mas acima de tudo, ele não é o gatilho, a razão e motivo de rugas trazidas pelo estresse relacional, mas sim um pacificador de sua alma. As rugas não passam de meras marcas do tempo.

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

FRASES E PENSAMENTOS ISMAEL ROSELEI CARVALHO: SER UM

SER UM  
                    
 “Ser um com alguém, é ter tanto dele, e ele ter tanto de você, que falar com um seria o mesmo que falar com o outro, dada a semelhança de pensar. E isso não se dá por falta de opinião, mas pela unidade de pensamento, que não se alcança do dia para a noite, mas num processo contínuo de ajustamento.”

PR ISMAEL ROSELEI DE CARVALHO

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

PASTOR ISMAEL ROSELEI DE CARVALHO, PALESTRANTE PARA CASAIS.

Vai fazer o seu evento de casais? 

O CASAMENTO REAL MAIS PRÓXIMO DO IDEAL.


“Quem é esta que aparece como a alva do dia, formosa como a lua, pura como o sol, formidável como um exército com bandeiras? Quem, pois, é esta que vem subindo do deserto, apoiada no seu amado?” Ct 6-10, 8:5
Entre o que se sonhou e a realidade que se vive pode haver uma grande distância. A moderação e o aceitar do outro com suas imperfeições e fragilidades, estando pronto a perdoar se faz necessário na relação.O amor tem o poder de promover o crescimento, propor transformações e assim aproximar o ideal do real. O amor considera e vai a busca do melhor dentro do melhor que cada um possa oferecer.
Valores como beleza, saúde, educação, cultura, entre outros, são coisas que se adquire, é questão de um novo olhar, um olhar de carinho e um pouco de investimento. Isso é viver a realidade buscando não um conto de fadas, mas um ideal possível.
O começo de tudo chama se aceitação da humanidade do outro e sua necessidade de crescer.
Esses textos de Cantares acima, a mim me parecem que falam de uma mulher que se fez brilhante acompanhada de um homem de não menor brilho, e que juntos sobem do deserto. Ele vem do palácio, tem sangue azul, ela vem do deserto e das agruras da vida, mas ele a encontra no seu deserto e a faz subir dali, revestindo-se, eles, da glória dos  vencedores, como um exército com bandeiras. Ela se faz formidável com o apoio dele, brilhante como o sol, e apaixonante como a lua. E ele, um homem admirável.  O deserto não foi capaz de vencê-los. A mutualidade cuidadora fez isso por eles.
O ideal  pode indicar um sonho possível a ser buscado, mas sempre considerando a humanidade do outro e vivendo a realidade dentro do melhor que ela possa oferecer, conforme ensina o pensador Mario Sérgio Cortela: É o teu melhor na condição que você tem enquanto não tem condições melhores para fazer melhor ainda.” 






QUER UMA FAMÍLIA? COMECE CERTO.


A sua intenção é ter uma família? Então saiba que o que começa errado, tende a não dar certo. Veja a história de Sara e Abraao. 

E disse Sarai a Abrão: Eis que o Senhor me tem impedido de dar à luz; toma, pois, a minha serva; porventura terei filhos dela. E ouviu Abrão a voz de Sarai.
Assim tomou Sarai, mulher de Abrão, a Agar egípcia, sua serva, e deu-a por mulher a Abrão seu marido,...Gênesis 16:2,3

Agar, a escrava, passou a desprezar Sara logo que engravidou. É muito interessante esse momento. Sara era senhora, mas tornou-se escrava de Agar quando tomou emprestado seu útero. Cumpriu-se o que Provérbios 22.7, quem toma emprestado torna-se escravo daquele que emprestou. Aprendemos aqui muitas lições, primeiro é não se tornar escravo agindo afoitamente, deixando de esperançar em Deus. Isso vale para todas as situações da vida. Sara não quis manter firme a esperança e a paciência até que a promessa se cumprisse e desse a luz a um filho. A paciência é uma das virtudes onde o tempo é absolutamente necessário. E na prova do tempo, Sara foi reprovada, impaciente não soube esperar.
A escrava Agar parece que foi usada, injustiçada, e quando pôde cobrou seu preço. Gostamos quando lemos no evangelho de Marcos que as bênçãos, sinais e maravilhas seguem aqueles que creem, mas é preciso lembrar que nossas maldades também nos alcançam com suas consequências. Elas  sempre nos acham. Sara e Abraão erraram feio nessa decisão que saiu da raia do pecado do adultério e poligamia e chegou as raias da maldade em fazer usura da escrava que foi tratada como sendo não humana, desprovida de sentimentos. Como poderia alguém que não é humano, é coisa, é propriedade, e ainda assim gerar um filho humano para Abraão. A coerência é umas das virtudes mais belas dos que temem a Deus. Nossos pensamentos, palavras, e atitudes tem que ser condizentes com nossa condição de filhos de Deus, independentes de nossos objetivos. 
Quando a escrava grávida começa a se sentir gente, vem logo o desejo de competir com a sua dona, então a despreza. Diante disso Sara coloca culpa em seu marido, sendo que na verdade foi ela quem jogou a escrava nos braços dele. Nas crises conjugais, geralmente, há mais de um culpado, e, costumeiramente, poupamos a nós mesmos e culpamos o parceiro, e isso não é justo. A serva pertencia a Sara, mas preferiu acusar o marido e exigir sua intervenção. Queria que o marido Abraão resolvesse um problema que ela deu causa estando em suas mãos o poder de resolvê-lo. Especialmente quando um homem é maduro, ele detesta ser acusado de algo que não fez, ou que pelo menos não tem culpa sozinho, muitos casamentos se rompem por causa disso. Preste atenção, não se precipite diante de erros cometidos, assuma sua parcela de culpa e busque soluções discutindo o problema e não acusando alguém.
Sara achou que poderia começar uma família usando sua serva, foi um mau começo. Aquilo que começa errado tende a não dar certo.
O que você está tentando construir tem uma boa base de amor, há firmeza, alguém está sendo ferido, direitos estão sendo preservados, os riscos foram calculados, e se tem risco é possível ter o controle deles, e por fim, é justo? Pense nisso, para que algo dê certo não se deve começar errado.
Mas digamos que você começou errado um relacionamento, e agora? Bom, embora não seja possível voltar ao passado para fazer o certo, mas é possível, recomeçar certo. Penso assim, feche o ciclo de coisas más que vem ocorrendo, perdoem-se pelos erros, e façam nova proposta, com novos planos. Realinhem seus desejos e  intenções, deixem claro o que se quer individualmente, comprometam-se com a relação e sigam em frente. É verdade que o que começa errado tende a não dar certo, mas isso não é uma fatalidade, é possível reverter o processo, apenas vai precisar de um maior investimento para corrigir o destino.

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

UM MARIDO ABENÇOADO, NÃO PERFEITO.


UM MARIDO ABENÇOADO, NÃO PERFEITO.

E aconteceu que, chegando ele para entrar no Egito, disse a Sarai, sua mulher: Ora, bem sei que és mulher formosa à vista;
E será que, quando os egípcios te virem, dirão: Esta é sua mulher. E matar-me-ão a mim, e a ti te guardarão em vida.
Dize, peço-te, que és minha irmã, para que me vá bem por tua causa, e que viva a minha alma por amor de ti.
E aconteceu que, entrando Abrão no Egito, viram os egípcios a mulher, que era mui formosa.
E viram-na os príncipes de Faraó, e gabaram-na diante de Faraó; e foi a mulher tomada para a casa de Faraó.
Gênesis 12:11-15

Abraão é conhecido como o Pai da Fé, um cara incrível, amigo de Deus, obediente, respeitado no lugar, cheio de promessas em sua vida, porém, um ser humano.
E no texto bíblico acima temos Abraão, ao que me parece,  numa flagrante falta de fé, usando de meia verdade (mentira) ao dizer que Sara era sua irmã e assim não corresse risco de morte, vez que ela era mulher desejável. Abraão não confiou que Deus o guardaria? Esqueceu-se da promessa? Tudo que indica que sim.
Nossa humanidade faz com que não sejamos perfeitos, sempre suscetíveis a erros, más escolhas, e outras bolas foras.
 Ninguém olhe para si mesmo como alguém todo suficiente, isso não é possível. Tanto o marido como a esposa, não deve esperar perfeição de quem é imperfeito, nunca idealizar que o outro irá suprir todas suas carências e necessidades, e nem tampouco imaginar que irá acertar sempre. Um marido, como homem que é, tende a achar que é todo suficiente em termos de relacionamento, podendo suprir completamente sua esposa com relação a interagir com pessoas. Alguns chegam a pensar que ver gente, rir com amigas e amigos, estar com parentes, visitar e ser visitada, não é uma necessidade, mas tenho uma informação àqueles que assim pensam, vocês estão enganados.  Em situações normais, gente gosta de gente e esposa, antes de ser esposa é gente. Somente Deus é capaz de suprir todas as necessidades de alguém. Portanto não seja o opressor dela nesse sentido, mas seu libertador, como bom marido que é. Compreender e perdoar o outro quando errar se faz necessário. Esteja pronto para isso, porque, certamente, ambos falharão em algum momento.Bom, pior do que fazer más escolhas trazendo prejuízo para nós mesmos, é causar danos na vida daqueles que estão perto da gente, como foi o caso de Abraão que com sua mentira expôs a risco aquele que o acolheu no momento da fome.Todo empenho deve ser realizado para não prejudicarmos inocentes com nossos erros. Tenho por hábito orar a Deus pedindo que me ajude a não errar feio demais, cometendo erros irreparáveis, ações que gerem prejuízos para inocentes. Nossas decisões e escolhas são como lançar uma pedra no lago, geram ondas, mais fortes ou mais fracas, alvissareiras ou destruidoras, e o nosso entorno será alcançado por essas ondas. Daí o cuidado com tudo o que fazemos para que vidas não sejam transtornadas por ondas que criamos.Costumo dizer que assim como as bênçãos seguem as pessoas que tem fé, trazendo a existência coisas poderosas, mas, a maldade também tem o poder de seguir pessoas trazendo destruição. Tem indivíduos que entram num ambiente e parece que a presença deles encheu o lugar, trazendo bem estar e alegria, já outros, sua chegada mais parece a entrada de um elefante numa relojoaria, um desastre. Há maridos  que sua chegada é esperada com ansiedade por ela e pelos pequenos, mas também tem alguns que despertam temor, especialmente pela sua imprevisibilidade, nunca se sabe como estará o seu humor. As leitoras deste livro terão marido imperfeito, mas tomara que seja perfeitamente amável, homem que provoque saudades. E aos maridos, recomendo, lembre-se da pedra no lago, e reflita que tipo de onda você gera em seu lar, e em suas relações, que sentimentos são esses que você está provocando.



TEMPO DE AJUSTAMENTO CONJUGAL


“...Exatamente, da mesma maneira, vós maridos, vivei com vossas esposas a vida cotidiana do lar, com entendimento,...”I Pedro 3.7b

Para os amantes do motociclismo “trocar a relação” é trocar um conjunto de engrenagens que possibilitam o funciona-mento do sistema de transmissão, é o que faz andar o veícu-lo. Quando a relação está desgastada, ela começa a não fun-cionar direito e vai até não andar mais.
Numa relação afetiva também ocorre algo parecido, se as peças estiverem não se encaixando bem , assim como as en-grenagens, é preciso buscar uma solução, com a diferença que a troca não é a primeira opção como acontece no moto. A relação em ambos os casos, precisam de um encaixe per-feito das engrenagens, e ainda, estarem lubrificadas. Você não tem isso quando tudo é muito novo ou quando tudo está muito desgastado. 
Tenho crido que em toda e qualquer relação, seja ela afetiva ou não, há um período de ajustamento que se faz necessário. Os desencontros iniciais são quase que obrigatórios, por mais que o amor e o respeito estejam presentes sempre algo desagrada, exigindo aí uma correção. O desconhecimento disso faz com que casais, em alguns casos, acabem pondo fim a um relacionamento que poderia ser muito bom. Seria como um sapato bonito, desejado e novo, que você usa e ele te machuca os pés. Você não o joga fora, antes continua com ele porque sabe que vai se acomodar aos seus pés. Da mesma forma, a relação, precisa de um tempo de acomoda-ção. Nossos pais tinham um jargão que dizia que era preciso comer um saco de sal com alguém para conhecê-lo. Exata-mente pelo fator tempo, uma vez que um saco de sal não se come em poucos dias, mas sim, demanda muitos dias, mui-tos dias de convivência e correção de condutas. 
Daí o perigo dos casamentos antecipados e precipitados. Na verdade, a grande maioria se casa com um desconhecido, vindo depois as surpresas, boas e más. Vou dar exemplo, uma secretária do lar, por melhor intencionada que seja, nos primeiros dias trabalhando em sua casa, vai fazer coisas que você gostaria que não fizesse e vai deixar de fazer outras que gostaria que fizesse. Um pastor recém empossado vai trazer coisas novas para a igreja, mas também vai trazer al-gumas angústias por coisas que a comunidade não queria que mudasse. Um gerente novo na empresa vai se enganar com relação a seus subordinados, alguns dos quais esperava muito, vão oferecer pouco, e outros dos quais não esperava muita coisa, vão surpreendê-lo. Daí o cuidado inicial ao mexer nas posições. Depois com mais tempo de casa, ele consegue fazer as mudanças individuais com mais acerto.
Particularmente, não gosto quando ouço alguém dizer: “Ninguém muda ninguém”. Penso que é uma meia verdade,  podemos não mudar, porque é uma decisão pessoal, mas podemos sim, e como, provocar o melhor no outro. Podemos sugerir, sugestionar, inspirar, entusiasmar. 
Todo começo de relacionamento é um pouco truncado, com muitas coisas boas e outras desanimadoras, podendo melho-rar ou não, dependendo como eles tratarem os ajustamentos iniciais. Vai se casar? Então se prepare, esteja aberto às mudanças e também para provoca-las no outro, mas não se desespere, nem desista, é assim que funciona, apenas man-tenha bem lubrificada a relação com óleo do amor, que os atritos serão minimizados.

domingo, 17 de setembro de 2017

MARIDO QUE EMBELEZA A ESPOSA



BELEZA E CURA PARA ELA.

Então te lavei com água, e te enxuguei do teu sangue, e te ungi com óleo. E te vesti com roupas bordadas, e te calcei com pele de texugo, e te cingi com linho fino, e te cobri de seda. E te enfeitei com adornos, e te pus braceletes nas mãos e um colar ao redor do teu pescoço.
E te pus um pendente na testa, e brincos nas orelhas, e uma coroa de glória na cabeça. E assim foste ornada de ouro e prata, e o teu vestido foi de linho fino, e de seda e de bordados; nutriste-te de flor de farinha, e mel e azeite; e foste formosa em extremo, e foste próspera, até chegares a realeza. Ezequiel 16:9-13

Gosto de atentar para a forma como Deus trata sua mulher (Israel), aprendo muito com ele. Deus é um marido espetacular, cuida da beleza exterior, embelezando sua esposa com brincos, braceletes, roupas finas, colar, e olha, tudo coisa de primeira, super da moda, alta costura, muita qualidade. É verdade que Ele é dono do ouro e da prata, e nós homens, não temos tanta suficiência financeira assim, mas aquilo que nós amamos, priorizamos. Com boa vontade, sempre dá pra dar um jeito e destinar uma grana extra para ela, afinal, é um investimento. Investimento é aquilo que dá bom retorno.
Mas não é só isso que o Deus marido faz, cuida também de sua saúde, ofertando-lhe alimentação natural, flor de farinha, mel e azeite, até que se pareça com uma rainha. Demais né?
Sabemos que uma mulher sentindo-se bela, vai internalizar essa beleza, tendo como consequência um bem estar emocional indizível. Tudo que o marido fizer por ela retornará para ele em forma de prazer.
  
Na sua primeira epístola Pedro fala da prioridade que deve ser dada a beleza interior, sem, contudo negar a exterior.
Assim, o casamento deve ser razão de beleza, crescimento  e cura para ela, orgulho e dignidade para ele.
O bem estar de uma esposa saudável e bela, uma mulher elegante no seu agir, fala muito sobre o marido que ela tem. De alguma maneira ela reflete quem ele é, e chego a acreditar que é exatamente isso que Deus espera quando nos ensina sobre o seu relacionamento de marido com sua esposa Israel e sobre o amor de Cristo pela sua noiva a Igreja. Tudo é feito como um “dica Divina” para os maridos aprenderem como se portar diante de uma esposa.













VINGANÇA É PRATO QUE NÃO SE COME



Amados, nunca procurem vingar-se, mas deixem com Deus a ira, pois está escrito: "Minha é a vingança; eu retribuirei", diz o Senhor. Romanos 12:19

De vez em quando ouvimos alguém cheio de suas próprias verdades dizer frases parecidas com essas: “Vingança é um prato quente que se come pelas beiradas”,  “ A sua hora vai chegar”, “O que é seu está guardado”, “Dor de barriga não dá uma vez só”, “O mundo dá muitas voltas”, e junto de frases assim, sempre um tom ameaçador. Pois bem, esses pensamentos são irracionais e despertam para a inimizade, o fomento das intrigas.
Na vingança, os homens e mulheres são diferentes, os homens tem a ideia de destruir por completo o seu oponente, é reação imediata e impulsiva. A mulher se arma com atitudes de desprezo, fofocas e planos de vingança. Isso tudo passa a fazer parte do seu pacote de maldades.
Todo tipo de vingança é mau, seja do homem ou da mulher. Ela instala no coração das pessoas a mágoa e a raiva, sentimentos nocivos que primeiro destroem as emoções, e depois trazem doenças para o corpo físico. Quando estamos certos numa questão e fomos injustamente prejudicados, houve rupturas de relacionamento, a recomendação é orar pelo inimigo. Quando oramos pelo inimigo, ao depararmos com ele, a raiva já não se manifesta com a mesma intensidade, porque há um conflito dentro de nós, como posso ficar com raiva de alguém por quem estou orando. Esse é o segredo para se libertar. Continue orando, a raiva e a mágoa vão diminuindo até deixar de existir, e assim também o desejo de vingança. Vou contar um fato: Em Roma, quando alguém matava sem justa causa, havia uma condenação onde o morto era amarrado nas costas do homicida, e este era solto pelas ruas da cidade. Detalhe, ninguém poderia lhe dar alimento ou água. E assim, ele perambulava pela cidade com o defunto nas costas. Nem sua família poderia ajudá-lo. No início dava a impressão que ele, homicida, estava numa posição privilegiada, pois destruiu aquele que o feriu. Passado não muito tempo, a putrefação do defunto e os vermes acabavam entrando no corpo do homicida e assim, ele também acaba morrendo.
O que isso importa para nós hoje? Pessoas estão carregando defunto em suas costas quando não perdoam, ou passam a vida com espirito de vingança. Acham que estão com a razão, não perdoam, pensam em vingança e assim perdem o sentido da vida, e logo estarão mortos por causa daquilo que carregam consigo.
Quando se tem certeza que foi injustiçado, lembre que a Bíblia diz que o Senhor é o teu vingador. Ele é quem se encarregará de fazer justiça. Não tome para si esse pretenso direito, entregue a Deus. Quando tento resolver através da minha vingança, é um indicativo que confio que sou mais competente para fazer juízo do que Deus.





A SINTALIDADE CONJUGAL

“Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho. Porque se um cair, o outro levanta o seu companheiro; mas ai do que estiver só; pois, caindo, não haverá outro que o levante” Eclesiastes 4:9-10


Um grupo social é a reunião de pessoas que não querem ficar sozinhas no palco da vida, e por isso interagem com outros da mesma espécie e desenvolvem com eles um senso de pertencimento de maneira a se fortalecerem mutuamente e assim, aumentando assim sua segurança e potencialidades.
Os grupos podem ser formais ou informais. Os informais são os grupos que surgem voluntariamente dentro do grupo formal. Aqueles onde as pessoas se escolhem, preferem a companhia um do outro, elas se aproximam por causa das afinidades, gostam de estarem juntas. Elas não são obrigadas, não há dever de estarem ali. Esse grupo é duradouro e o seu ultimo estágio é a sintalidade, que defino por “personalidade do grupo”, a forma positiva como interagem no seu mundo privado, que por sua intensidade se faz perceber também em suas vidas pública. Sintalidade é a identidade de um grupo. Vou dar um exemplo, todos já ouvimos falar que em tal lugar existe uma “panelinha”, pois então, essa “panelinha” não tem sua formação imposta, são pessoas que se identificam e querem ficar juntas, e elas têm sintalidade. O grupo formal pode se dissolver, mas a “panelinha” permanece e vai além de muros e fronteiras.
Um casal pode estar junto fisicamente, mas a quilômetros de distancia um do outro. Podem se falar, mas pensam  diferente naquelas questões importantes, eles podem se entreolharem, mas não há brilho nesse olhar. Seus objetivos são conflitantes, e não há tanto prazer quanto possível em estarem juntos. Embora tenham se escolhido para juntos permanecerem, acabam permanecendo por um dever. Seria como se deixassem de ser um grupo informal e voltasse à condição de grupo formal, aquele que existe por força da obrigação. Eles se aturam, se toleram com paciência e resignação, mas não estão cheios de encantos por estarem ali.
Por outro lado, quando há sintalidade eles agem como “equipe”, onde sintonia é tão grande que se falam sem abrir a boca, basta um olhar e a mensagem já foi transmitida, a comunicação é mais do que verbal, eles se leem a si mesmos. Fica muito próximo do texto bíblico que fala da relação de Deus com seus filhos onde diz: “antes que eles abram a boca eu os ouvirei.” Eles se apercebem da necessidade do outro com rapidez, porque estão conectadas, muitas palavras são desnecessárias.
A sintalidade torna-se é a alma da relação, é a sua marca, o prazer de se pertencerem. e a impressão que deixam por onde passam.
Um observador disse a respeito de um casal que vivia a sintalidade conjugal: “A forma como um dirige a palavra ao outro, como se olham em concordância e riem juntos, eles não se alfinetam, há brilho no olhar, e parece que um lê o pensamento do outro.”  

É isso, bom demais, né?
.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...